Já utilizado em diversas áreas da medicina, o grande novidade é o uso do laser na Ginecologia, aplicado nas áreas íntimas.

Sua aplicabilidade nesta área está baseada em sua capacidade de aumentar a formação do colágeno local e assim melhorar sintomas como secura vaginal, incontinência urinária e alteração de sensibilidade na área genital.

A secura ou atrofia vaginal, é um dos sintomas mais desconfortáveis que a mulher pode ter. Pode ocorrer na menopausa, pela queda da produção do estrogênio, no pós-parto, ou ainda ser medicamentosa, causada pelo uso de
contraceptivos hormonais de uso contínuo, por exemplo.

Seu tratamento, independente da causa, até então, era baseado no uso de lubrificantes vaginais ou terapias de reposição hormonal local na vagina. Mas, devido ao incomodo causado pela necessidade de aplicação quase que diária 
desses cremes muitas pacientes acabavam descontinuando o tratamento e mantendo tal desconforto.

A falta do hormônio (estrógeno), que acontece na pós menopausa e no pós parto, faz com que as fibras colágenas da pele diminuam. Há ainda uma redução do fluxo de sangue pelos vasos com diminuição da capacidade de retenção de água pelas células. Com isso, a pele fica seca, fina e quebradiça.

O mesmo acontece nas mucosas, principalmente vaginal que apesar de não ser visível, pode ficar menos lubrificada, causando dor na relação sexual e perda de urina aos esforços.

O lançamento de um novo aparelho, o Laser Erbium Yag, trouxe uma nova perspectiva para estas mulheres, pois apesar de ainda ser uma nova tecnologia, vem apresentando resultados promissores.

O tratamento preconizado é realizado em duas ou três sessões, que são feitas no próprio consultório e sem nenhum preparo. Algumas vezes, apenas uma sessão é suficiente para reduzir em mais de 80% os sintomas.